Notícias

Conselheiros do Concultura do biênio 2019/2021 participam de última reunião

 

Uma reunião presencial marcou o encerramento do mandato de dois anos dos 16 conselheiros do Conselho Municipal de Cultura (Concultura), órgão consultivo da Prefeitura de Manaus, nesta quarta-feira, 8/9, no salão principal do Palácio Rio Branco, no Centro. Ao longo dos dois anos, representando seus oito segmentos artísticos, propondo ações e analisando projetos, os 16 conselheiros atuaram em duas gestões municipais, assumindo no final de um governo e no início da atual na gestão do prefeito David Almeida.

O presidente do Concultura, Tenório Telles, ressaltou a importância da atuação dos conselheiros que se despendem. “Os conselheiros que ora passam o comando aos novos representantes recém-eleitos dos segmentos, participaram de decisões importantes, que se tornaram ações de governo, como a criação do memorial Aldeia da Memória Indígena de Manaus, um reconhecimento histórico do território sagrado dos povos indígenas em plena praça Dom Pedro II, no centro de Manaus, feito pelo prefeito David Almeida”, relembrou Telles.

Outro evento citado pelo presidente aconteceu no período inicial que marcou a atual gestão, com forte repercussão, a celebração de 95 anos do poeta Thiago de Mello. Uma ação que está no tripé de ação do conselho: memória ancestral, educação dos jovens e apoio e formação continuada dos artistas.

O conselho que se despede participou, também, de ações importantes para o enfrentamento da crise pandêmica, que atingiu duramente a classe artística, desde março de 2020. “Sugerimos a antecipação da décima edição dos Prêmios Cidade de Manaus, que foi aceita pelo prefeito David Almeida; realizamos feiras de artes para gerar renda, em parceria com a Manauscult, Semtepi e Semasc; iniciamos o programa de formação e empreendedorismo com oficinas e cursos aos artistas”, pontuou.

Ele destacou, em especial, o processo demandado pelo conselho, seguindo orientação do prefeito David Almeida, de fazer o setor funcionar independente e sustentável, por meio do Fundo Municipal de Cultura (FMC), reformulando a Lei de Incentivo à Cultura. “Estamos finalizando as tratativas, e este é o grande legado que deixaremos para o setor cultural”, afirmou Telles.

Aos conselheiros que encerram sua gestão, o presidente agradeceu a contribuição. “Sou grato aos conselheiros que encerram seus mandatos, pela forma respeitosa e colaborativa com que se portaram na condução do Concultura. A contribuição de todos foi fundamental, para que chegássemos até aqui. Agradeço muito por esse convívio de aprendizagem”, declarou.

 

‘Dia B’

A última deliberação do conselho foi proposta pelo presidente em criar, no calendário de homenagens oficiais da cidade de Manaus, o “Dia B”, no dia 4 de setembro, em homenagem ao grande poeta Luiz Bacellar, pela relevância da obra, reconhecida pelas várias gerações de literatos de Manaus. A proposta foi aprovada por unanimidade e será encaminhada à Câmara Municipal de Manaus (CMM), para apreciação dos vereadores.

O tom emocionado marcou a última reunião dos conselheiros do Concultura, em meio ao balanço das ações, os agradecimentos foram recíprocos. O vice-presidente, Neilo Batista, salientou o trabalho relevante de cada conselheiro, além do legado coletivo da reformulação da Lei de Incentivo à Cultura, que o Conselho que está saindo vai deixar para a sociedade manauense, uma lei que existe desde 2003. “Finalmente vamos fazer essa lei funcionar e beneficiar os nossos artistas”, afirmou Batista.

Destaque

O presidente Tenório Telles fez constar em ata a contribuição relevante dos conselheiros César Wanderley (Secretaria Municipal de Finanças e Tecnologia da Informação – Semef); Rayana Pinho (Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação – Semtepi); e Fabíola Mara dos Santos (Secretaria Municipal de Educação – Semed), que foram além das obrigações do conselho, atendendo ao bem público.

A conselheira Fabíola Mara ressaltou o envolvimento dos colegas junto às comunidades. “Acredito plenamente no poder transformador da arte, pois ela salva vidas. Como servidora, entendo que meu trabalho é para o outro”, comentou.

Para o conselheiro de música, Renato Barros, o conselho realizou o resgate da cultura popular e da identidade do povo manauense.

Formação

As reuniões ordinárias foram realizadas mensalmente de forma virtual, por prevenção à pandemia de Covid-19, ao longo dos últimos nove meses, além de cinco reuniões extraordinárias convocadas pelo presidente para resolver assuntos urgentes.

O Concultura é composto de forma paritária, com igual número de representantes dos oito segmentos artísticos e igual número do poder público: Maria Priscila Soares Sahdo Monteiro (teatro e circo); Alcides Januário de Souza (dança); Renato Souza Barros (música); Júlio Antônio de Jorge Lopes (literatura); Reginaldo Gomes dos Santos (áudio visual); Icles Nascimento de Carvalho (cultura étnica); Ian Marinho de Carvalho (cultura popular) e Maria Andreia de Souza Menezes (artes visuais).

— — —

Texto – Cristóvão Nonato/Concultura

Fotos – Cristóvão Nonato/Concultura

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmWAMaRK

Notícias relacionadas